Currently set to No Index
Início » Concurso Manaus Previdência: Banca organizadora do novo edital é definida!

Concurso Manaus Previdência: Banca organizadora do novo edital é definida!

Publicidade

Concurso Manaus Previdência: Banca organizadora do novo edital é definida!
A Manaus Previdência, Estado do Amazonas, vai abrir um novo edital de concurso público; FCC foi escolhida como banca organizadora

Publicidade

A Manaus Previdência, Estado do Amazonas, vai abrir um novo edital de concurso público (Concurso Manaus Previdência AM). Foi divulgado no Diário Oficial desta quinta-feira, 12 de novembro, a informação de que a Fundação Carlos Chagas (FCC) foi escolhida para organizar o certame. A escolha foi feita por dispensa de licitação. Agora, o próximo passo será a assinatura de contrato entre as partes.

O edital vem sendo aguardando desde 2019, quando a autarquia formou sua comissão organizadora para tratar dos preparativos do próximo edital. De acordo com o documento, o grupo de trabalho conta, ao todo, com cinco servidores: Eduardo Alves Marinho (coordenador); Ana Silvia dos Santos Domingues (subcoordenadora); Bruna Veloso Vieira Machado; Carolinne Nunes dos Santos; e Fernando Krichanã dos Santos.

O texto informa que a comissão organizadora fez reuniões uma vez por semana, na sede do órgão, para realização dos trabalhos. Quando foi formado o grupo, a comissão recebeu o prazo de 30 dias, com possibilidade de prorrogação por igual período, para concluir os trabalhos. Os estudos internos foram estendidos por mais 30 dias, até janeiro de 2020.

A comissão organizadora deve realizar estudos, levantamento do número de cargos e vagas a serem oferecidos, assim como o processo de escolha da banca organizadora.

O concurso deve contar com 05 vagas, além de formar cadastro reserva de pessoal, para os cargos de procurador autárquico, analista previdenciário e técnico previdenciário, com exigência de formação superior para procuradores e analistas e ensino médio para técnicos.

Publicidade

Do quantitativo de vagas, 32 foram para técnico previdenciário, com requisito de nível médio, 20 para analista previdenciário (em diversas áreas), com exigência de nível superior, e cinco vagas para o cargo de procurador autárquico, também para os graduados.

O concurso contou com provas objetivas (para todos) e discursiva (somente para Procurador). A prova objetiva de múltipla escolha, para técnicos e analistas, contou com questões de Conhecimentos Gerais e Específicos, nas matérias de Língua Portuguesa e Raciocínio Lógico-Matemático. A avaliação contou com 60 questões, sendo 30 somente Específicos.

Para o cargo de Procurador, foram cobradas 100 questões, distribuídas nas áreas de Direito Constitucional, Administrativo, Civil, Processual Civil, Trabalho, Processual do Trabalho, Financeiro, Tributário e Previdenciário. Além disso, o exame também contou com a disciplina de Legislação Municipal.

Publicidade

Para ser considerado habilitado no cargo de Procurador, o candidato precisou, na prova objetiva, ter 50% ou mais de acertos. Já os técnicos e analistas precisaram obter média igual ou superior a 150 pontos e 200 pontos, respectivamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0

Carregando o Site…